Segurança Eletrônica

Rondônia reforça proteção na fronteira com instalação de câmeras

Publicado por Site da Segurança

Um total de 62 câmeras serão instaladas em seis municípios de Rondônia localizados nos 150 quilômetros da faixa de fronteira com a Bolívia e divisa com os estados do Amazonas, Acre e Mato Grosso. A medida é para reforçar o patrulhamento da polícia nas principais vias de acesso terrestre da fronteira.

O sistema foi adquirido por meio de convênio entre a  Secretaria Nacional de Segurança Pública(Senasp), do Ministério da Justiça, e o Governo de Rondônia dentro do plano da Estratégia Nacional de Segurança Pública nas Fronteiras (Enafron) na ordem de R$2,5 milhões.

Das 62 câmeras,  14 vão ser instaladas no município de Buritis – onde o processo já foi iniciado, 13 em Vilhena, nove em Pimenteiras do Oeste, nove em Costa Marques, 15 em Guajará-Mirim e duas em Nova Mamoré.

O videomonitoramento funciona com equipes que gravam durante 24 horas todo tipo de ocorrência a partir das imagens geradas pelas câmeras. Através das imagens, o policial identifica os eventos criminosos e aciona uma viatura policial para aquela localidade. As câmeras utilizadas são do tipo ‘speed dome’, recurso que pode monitorar em um ângulo de até 360º, por alcançar um grande perímetro, possibilita um zoom e excelente definição.

“Existe uma preocupação do Governo Federal e Estadual de frear o tráfico de drogas transporte de veículos roubados e furtados do Brasil nessas regiões. Com a  efetivação das câmeras  irá facilitar o monitoramento dia e noite agregando um policiamento eficiente nessas localidades”, afirma o secretário do Estado de Segurança Pública, Defesa e Cidadania, Antônio Carlos Reis.

Fonte: portalamazonia.com

Sobre o autor

Site da Segurança

Informação para sua proteção!

1 Comentário

  • Caro leitor, aproveito a interessante matéria para fazer algumas considerações. Primeiro, fica claro como o uso dos recursos de segurança eletrônica pode (e deve!) ajudar na defesa de nossas fronteiras, otimizando a ação do efetivo aquém do necessário para tal. Daí surge a pergunta: será o número suficiente para atender a 150 de fronteira, com toda sua vegetação, sinuosidades e pontos vulneráveis? Mas a minha maior preocupação ainda é mais preocupante: a manutenção do sistema! O governo usualmente implanta estes recursos, mas cobra apenas a garantia. Mas como pensar em 62 speed domes operando 24/7 sem manutenção??? Infelizmente, em breve, teremos outra matéria citando o abandono da idéia….

Deixe uma resposta para André Godinho X

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.