Opinião do Especialista

Reflexões sobre o impeachment (Telius Memória)

Publicado por Telius Memoria

A movimentação do povo é clara no sentido da repulsa ao PT e à Dilma. Era o que os políticos estavam esperando para se posicionarem. Mas o desdobramento ainda é incerto.

Pode haver impedimento, ainda complicado, não por falta de motivação e, sim, por falta de certeza de que o Temer será aceito entre os políticos. Podem haver mais duas situações imediatas, a meu ver:

  • um acordo que coloque a Dilma (extra-oficialmente) apenas como Chefe de Estado e outro político fazendo as vezes de Chefe de Governo, como acontece na França (já foi falada); mas nossa Constituição Federal não prevê esta hipótese;
  • a renúncia da Dilma, negociada com o PMDB. Talvez isto aconteça , porque poderia ser mostrado a ela e ao Lula o grande mal que ambos fariam (mal maior ainda) ao país  na sua economia em grande queda neste momento, pelo desenrolar demorado do impedimento.

Penso nisto porque o Supremo deu ao Senado o poder de julgar o julgamento da Câmara no que respeita a aceitação da acusação contra a Presidente. A nossa CF nunca deu ao Senado este poder, mas o Supremo “legislou” e é nisto que a Dilma está confiando em ver barrado seu inpedimento. Agora, com as manifestações populares, o Senado deverá rever sua posição, porque se não aceitar a decisão da Câmara colocará o país num verdadeiro estado de guerra, por culpa direta dos Senadores. Claro que existem outras possibilidades, mas não imagino quais sejam.

Telius Memória

Sobre o autor

Telius Memoria

TELIUS ALONSO AVELINO MEMORIA

Advogado

1965/66 - Delegado de Polícia e Comissário Chefe da Seção de Investigação da Delegacia de Vigilância do Estado da Guanabara (Autoridade Policial Civil)

1967/68 - Diretor da Penitenciária Professor Lemos Brito, da Secretaria de Justiça do Estado da Guanabara.

1972- Eleito Presidente da Associação do Ministério Público do Estado da Guanabara.

1972- Promovido por merecimento ao cargo de Promotor Substituto do Ministério Público do Estado da Guanabara.

1974- Promovido por merecimento ao cargo de Promotor Público do Ministério Público do Estado da Guanabara.

1975/78 - Nomeado Diretor-Presidente da Imprensa Oficial do Estado do Rio de Janeiro (empresa pública). Responsável pela organização do atual Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro. Dispensado a pedido.

1980/81 - Assistente do Procurador Geral de Justiça do Estado do Rio de Janeiro.

1981/83 - Assessor Jurídico do Secretário de Estado de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro.

1986- Promovido ao cargo de Procurador de Justiça, titular da 3ª Procuradoria de Justiça junto à 1ª Câmara do Tribunal de Alçada Criminal.

1996/2015 -Conselheiro da Associação Comercial do Rio de Janeiro, Membro do Conselho Empresarial de Segurança Pública , Ética e Cidadania.

Comente