Opinião do Especialista

A confiança é de vital importância para a atividade de uma instituição como a polícia (Telius Memoria)

Publicado por Telius Memoria

Novembro passado os traficantes executaram mais um PM em serviço numa UPP. Foi a demagogia do governo que criou este verdadeiro matadouro chamado UPP, que já tirou a vida de tantos  policiais e  transeuntes inocentes. É certo que não podemos aceitar  as  ações tresloucadas de alguns policiais. Contudo, pacificar favelas significa não só de lá afastar os traficantes, mas levar as estas comunidades as agências civis necessárias a uma vida digna. Ao apenas incrustar uma unidade de Polícia neste emaranhado de moradias, cercadas de bandidos por todos  os lados, o governo só fez criar uma situação que favoreceu os confrontos,  tiroteios e mortes, como aconteceu e continuará a acontecer.

Uma pergunta não pode deixar de ser colocada: o governo já não conhecia a privilegiada situação no terreno, o propósito  e a disposição bem como o forte armamento em poder dos traficantes ? Certamente que sim! Então o que o levou a executar uma operação de tão alto risco, tanto para a tropa, quanto para os moradores regulares destas comunidade? Os resultados até agora apresentados, mostram que as UPPs não  só não melhoraram a condição de segurança destes locais como ainda estão se tornando alvo da reprovação da população. Esta demonstração de duvidosa capacidade estratégica não granjeará a confiança da população e confiança é de vital importância para a atividade de uma instituição do tipo polícia .

Sobre o autor

Telius Memoria

TELIUS ALONSO AVELINO MEMORIA

Advogado

1965/66 - Delegado de Polícia e Comissário Chefe da Seção de Investigação da Delegacia de Vigilância do Estado da Guanabara (Autoridade Policial Civil)

1967/68 - Diretor da Penitenciária Professor Lemos Brito, da Secretaria de Justiça do Estado da Guanabara.

1972- Eleito Presidente da Associação do Ministério Público do Estado da Guanabara.

1972- Promovido por merecimento ao cargo de Promotor Substituto do Ministério Público do Estado da Guanabara.

1974- Promovido por merecimento ao cargo de Promotor Público do Ministério Público do Estado da Guanabara.

1975/78 - Nomeado Diretor-Presidente da Imprensa Oficial do Estado do Rio de Janeiro (empresa pública). Responsável pela organização do atual Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro. Dispensado a pedido.

1980/81 - Assistente do Procurador Geral de Justiça do Estado do Rio de Janeiro.

1981/83 - Assessor Jurídico do Secretário de Estado de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro.

1986- Promovido ao cargo de Procurador de Justiça, titular da 3ª Procuradoria de Justiça junto à 1ª Câmara do Tribunal de Alçada Criminal.

1996/2015 -Conselheiro da Associação Comercial do Rio de Janeiro, Membro do Conselho Empresarial de Segurança Pública , Ética e Cidadania.

Comente